Explicando o que é uma startup para maturis

A busca ao Google pela palavra startup retorna aproximadamente 194.000.000 (cento e noventa e quatro milhões) de resultados. Isto dá a dimensão não só da utilização da palavra, mas também do interesse que o assunto provoca.

Sabendo da importância do tema a MaturiJobs convidou – para a palestra de seu encontro mensal deste mês de julho – Fernando Brisola.

Partindo do princípio que as pessoas ouvem muito falar de startup, mas sem saberem o que seja uma, Fernando preparou a conversa Startups para 50+: tendências e oportunidades para a última quinta-feira, 26/7.

Com experiência profissional de 22 anos em grandes empresas no Brasil e no exterior, Fernando atuou nas áreas de tecnologia e marketing desenvolvendo negócios e produtos. Em TI, gerenciou projetos, desenvolveu sistemas, liderou equipes multidisciplinares, projetou e construiu aplicações para os mercados financeiro e de capitais. Hoje, ajuda pessoas a montar seus próprios negócios através da mentoria e consultoria em startups.

Depois de apresentar-se, o palestrante diz que o primeiro passo é entendermos o que é e o que não é uma startup.

Após ouvir várias opiniões, Fernando recorda de palavras, ideias, expressões e projeta a resposta clássica que uma “startup é uma empresa, negócio, produto ou serviço, de base tecnológica, que nasce com uma ideia inovadora e está em busca de um modelo de negócios repetível e escalável, e trabalha em condições de extrema incerteza”.

Didaticamente – e utilizando o exemplo do funcionamento de um restaurante – retalha o conceito explicando os principais pontos. Base tecnológica é porque todo o negócio – e não somente uma parte da operação – está baseado em tecnologia. Como exemplo cita a Uber que une – através da internet e de um aplicativo – clientes que precisam de transporte com motoristas com carros disponíveis.

Repetível porque o produto atende a todos os clientes sem necessidade de customização. Escalável porque o serviço pode ser vendido para qualquer número de clientes sem o aumento dos custos fixos. O que permite tudo isto é a tecnologia aplicada sem o aumento de estrutura e custos.

E finalmente, a incerteza se o empreendimento dará certo é porque o trabalho será executado em condições de grandes dúvidas – tanto estruturais quanto de oportunidade, passando pela qualidade do produto ou serviço oferecido. Para ajudar no raciocínio cita estatísticas que demonstram, fartamente, que a minoria das startups é que dão certo.

A interatividade da palestra contribui para que o público ficasse à vontade para responder às indagações, falar de suas dúvidas e, também, questionar as possibilidades de iniciar empreendimentos nesta fase da economia brasileira e de suas vidas e carreiras. Ouviram sobre os principais motivos que levam uma startup ao fracasso.

Ao final do encontro, Marlene Pereira saiu da conversa acreditando que o diálogo com o filho – que trabalha numa startup – será facilitado, porque ela reuniu informações que a permite conversar a respeito do dia a dia dele.

Dirceu Maçon, um empreendedor, acredita ter desfeito dúvidas sobre o que é uma startup e como aproveitar melhor as oportunidades que estão no mercado ou lhe são oferecidas.

Veja aqui as fotos e aqui a gravação em vídeo do encontro.

A lotação esgotada do evento mostrou que as pessoas querem saber mais sobre o tema. Este interesse difuso foi canalizado na forma do curso Startup 50+ organizado pela MaturiJobs e Fernando Brisola. Os encontros serão nas segundas e quintas-feiras entre 27/8 a 13/9.
Mais informações em: https://maturi.in/startup50

Walter Alves

Walter Alves

Palestrante e consultor social com experiência em gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento e inclusão no trabalho de mulheres, negros, pessoas com deficiência, LGBTI+ e pessoas acima de 50 anos.
Walter Alves

Últimos posts por Walter Alves (exibir todos)