Trabalho no Futuro – Episódio 36: O futuro não é mais como era antigamente

Nosso entrevistado presenciou o início da passagem do jornalismo analógico para o digital participando da criação de portais brasileiros como UOL e iG. Hoje, Caio Tulio Costa, empreende na startup Torabit uma plataforma de monitoramento de dados.

A ferramenta que existe desde 2015, foi lançada comercialmente em 2017 e acompanha tudo que sai publicamente nas redes sociais – Facebook, Instagram, Pinterest, YouTube – em sites e blogs quando observa marcas, assuntos, nomes, eventos e temas e o que estão falando, lendo ou pesquisando num exato instante.

Perguntado sobre o impacto da tecnologia da informação no Trabalho no Futuro, a resposta é curta: “atualmente, a TI é imprescindível para a realização de praticamente tudo. Vivemos um momento de grandes disrupções, por exemplo, a maior sala de cinema do mundo, a Netflix, não é dona de nenhuma sala de exibição; já existem impressoras 3D que construirão, praticamente sozinhas, prédios inteiros”, diz.

Na opinião dele, empresas de mídia que não desenvolvem e utilizam tecnologia, abundantemente, para ajuda-las a pensar o conteúdo, para analisar o que é produzido e consumido ou para fazer um jornalismo de dados, estão condenados à morte, porque a empresa somente produtora de conteúdo não tem valor.

Entrevista: Walter Alves
Edição: Felipe Andrade
Realização: MaturiJobs


Sobre o programa:

Você sabe como será o Trabalho no Futuro?
Quais as competências serão exigidas?
Haverá Trabalho no Futuro para as pessoas acima de 50 anos?
O que é envelhecer no Brasil atual?
Há uma idade limite para estudar ou para uma nova carreira?
É possível empreender fora da internet?
Para responder a estas dúvidas e, também, falarem sobre longevidade, maturidade e suas próprias experiências conversamos com várias pessoas e registramos em forma de entrevista nos programas Trabalho no Futuro.

Toda terça-feira um novo programa no ar. Não perca!