Esta mulher mudou o mundo do trabalho, e você provavelmente nunca ouviu falar dela

Quando pensamos nas pessoas que revolucionaram a maneira como trabalhamos, muito provavelmente, Evelyn Berezin, não é um dos nomes que vem à memória. No entanto, ela foi responsável por uma invenção que revolucionou o modo como as pessoas registravam suas palavras. Ela inventou o primeiro processador de texto computadorizado e, se isto não bastasse, montou uma empresa para comercializa-lo.

De um certo modo, foi ela que lançou as bases da era digital abrindo a possibilidade de projeção de nomes como Bill Gates, da Microsoft, Steve Jobs, da Apple, e o inventor da web, Tim Berners-Lee.

Evelyn Berezin – morreu recentemente em dezembro de 2018 aos 93 anos -, era uma visionária da computação e cuja invenção, o Data Secretary, foi o primeiro dispositivo a usar semicondutores, e não fitas ou relês eletrônicos como até então era o usual.

A máquina permitia que as secretárias editassem, cortassem, colassem e apagassem o texto sem precisar datilografar páginas inteiras. O equipamento permitia inúmeras impressões para uma distribuição ilimitada do texto.

É também creditado a ela a construção de um dos primeiros sistemas de reserva de passagens informatizados para companhias aéreas.

Inventora, engenheira e empreendedora

Em 1969, Evelyn Berezin criou a Redactron para fabricar e vender o Data Secretary. Ela apresentou seu produto a escritórios de advocacia e prospectou clientes corporativos que logo perceberam o potencial do equipamento para reduzir o retrabalho e, consequentemente, os custos com mão-de-obra.

Enquanto os concorrentes – no negócio de processamento de texto -, dependiam de retransmissões e fitas eletrônicas, o projeto avançado do Data Secretary incorporou os primeiros chips semicondutores e a lógica programável para registrar e recuperar os textos para edição.

Evelyn Berezin chegou a projetar alguns dos semicondutores. Em uma indústria dominada por homens, ela era única: inventora, engenheira e fundadora de uma das primeiras startups de tecnologia.

Os primeiros compradores do Data Secretary recebiam uma unidade do tamanho de um frigobar sem tela e que dependia de uma máquina de escrever IBM Selectric para fazer as vezes de teclado e impressora.

As versões posteriores tinham telas, consoles em escala reduzida, impressoras separadas e vinham com velocidades de processamento aprimoradas e maior desempenho.

A concorrência copiou seu invento e fabricantes – como a IBM – logo incorporaram chips em seus projetos e uma segunda leva de processadores de texto chegou ao mercado.

Em 1976, a empresa foi adquirida pela Burroughs Corporation, e Evelyn Berezin assumiu o cargo de chefe da divisão da Redactron dentro da nova companhia, posição que ocupou até 1980. Depois disso, ela se tornou consultora e investidora de risco.

Como em todo processo inovador, com a invenção do Data Secretary e a consequente automatização do trabalho, algumas das tarefas executadas pelas secretárias tornaram-se obsoletas fazendo com que muitos postos de trabalho desaparecessem. No entanto, a era do computador que se seguiu também criou inúmeras novas profissões e novos cargos.

É possível traçar um paralelo entre a invenção do Data Secretary e a Quarta Revolução Industrial. Hoje, as novas tecnologias propiciam rápidas mudanças e inovações transformando o mercado de trabalho. De acordo com o Relatório sobre o Futuro dos Empregos 2018 do Fórum Econômico Mundial até 2022, o declínio de 10% nos empregos existentes será contrabalançado por um aumento de 11% no surgimento de novos postos de trabalho.

 

 

O artigo de Johnny Wood foi publicado originalmente em World Economic Forum em https://www.weforum.org/agenda/2019/02/this-woman-changed-the-world-of-work-and-youve-probably-never-heard-of-her/

 

Walter Alves

Palestrante e consultor social com experiência em gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento e inclusão no trabalho de mulheres, negros, pessoas com deficiência, LGBTI+ e pessoas acima de 50 anos.
Walter Alves