Trabalho no Futuro – Episódio 24: A inclusão dos diferentes só começou

Responsável por trazer ao Brasil as experiências do Diálogo no Escuro e Diálogo com o Tempo, Andréa Calina ressalta que o principal objetivo do empreendimento é o de educar a sociedade para melhor observação das diferenças e que – mesmo considerando a individualidade dos participantes -, foi perceptível a vivência de 3 diálogos em 1 só, ou seja, o diálogo consigo próprio, o diálogo com seu guia (pessoas com deficiência visual ou acima de 70 anos) e o diálogo com seu grupo (outras pessoas que escolheram o mesmo horário).

Nossa entrevistada é otimista quanto a inclusão dos diferentes no Trabalho no Futuro. Ela acredita que o protagonismo dos diferentes está apenas começando, pois há interesse de ambas as partes – pessoas dos grupos sub representados (50+, pessoas com deficiência, negras e negros, mulheres, LGBTQ+) e das organizações – que esta diversidade corporativa aumente e seja um sucesso.

Em sua opinião quem se beneficia e quem se prejudica com a inclusão?

Entrevista: Walter Alves
Edição: Felipe Andrade
Realização: MaturiJobs

Sobre o programa:

Você sabe como será o Trabalho no Futuro?
Quais as competências serão exigidas?
Haverá Trabalho no Futuro para as pessoas acima de 50 anos?
O que é envelhecer no Brasil atual?
Há uma idade limite para estudar ou para uma nova carreira?
É possível empreender fora da internet?
Para responder a estas dúvidas e, também, falarem sobre longevidade, maturidade e suas próprias experiências conversamos com várias pessoas e registramos em forma de entrevista nos programas Trabalho no Futuro.

Toda terça-feira um novo programa no ar. Não perca!