De maturi para maturi: como colocar um negócio de pé, desde a ideia

Como colocar um negócio de pé, com o empresário Ricardo Pessoa: veja exemplos práticos e dicas simples e fundamentais, de maturi para maturi, para quem está pensando em iniciar um novo negócio mas não sabe por onde começar.

 

Em dezembro de 2017, a MaturiJobs promoveu um encontro entre maturis e teve como convidado o engenheiro Ricardo Pessoa, formado pela Escola Politécnica de São Paulo e que encontrou sua vocação para empreender. Foi um dos idealizadores da Egrégora Inteligência, uma empresa de consultoria que assessora novos projetos desde a concepção e deu a palestra “Como colocar um negócio de pé” no evento.

Segundo Ricardo Pessoa, idealizador da Egrégora Inteligência, uma empresa de consultoria que assessora novos projetos desde a concepção, “velho não é minoria, velho é maioria”. E ele está coberto de razão. Segundo os últimos dados da OMS, a população está ficando cada vez mais velha, por mais tempo. Isso quer dizer que esse público continua gerando e consumindo, mas a sociedade ainda tem dificuldade para enxergar isso: “Eu acho que estamos lidando com a mesma miopia com que tratamos o racismo. Um caminho é lutar como minoria, outro é assumir o protagonismo. Fui empresário desde sempre. Sempre tive empresas. Umas quatro, formalizadas. Mas sempre me meti em negócios. Para mim é natural. Não esperar muito que alguém dê o beneplácito é meio natural. Para mudar, é no amor ou na dor.” 

 

Digamos que você tenha uma ideia, uma boa ideia, qual a primeiríssima coisa a fazer para tirá-la do papel?

Antes de mais nada é preciso se mexer. Não adianta ficar parado! É preciso planejamento e fazer muitos testes, para encontrar o melhor modelo de negócio. Outro ponto importante é tentar simplificar ao máximo todo o processo. Abrir uma empresa é algo bem burocrático, então vá com calma, não tenha pressa. Estude as possibilidades, tente e depois formalize. Nesse meio tempo é importante que você esteja imerso numa espécie de onda de conhecimento e atualização, é impossível dominar todas as áreas, mas é preciso estar inserido neste contexto.

 

Como fazer um teste de ‘realidade’ na ideia de um novo negócio, vale falar com os outros, buscar opiniões…mas e se as opiniões forem desanimadoras? Quem seria seu melhor companheiro neste início de empreitada?

Quando a gente fica mais velho, superestima os riscos. A gente já fez e tem uma tendência a enxergar problemas que ainda nem aconteceram. A sabedoria e o conhecimento naturalmente podem ser paralisantes. Mas você tem que lutar contra isso e usar ao seu favor: os velhos têm mais capacidade de tomar decisões complexas, já passaram por todas. Os primeiros investidores me disseram que eu estava muito velho. Isso é um problema deles: eu mostro o que eu sei e o que eu sou. O negócio é buscar quem tem afinidade com você. O mercado é muito grande.

 

É possível começar um novo negócio depois dos 60 sozinho ou um sócio é fundamental? E, neste caso, qual o perfil ideal para um sócio? Alguém com a mesma visão mas habilidades diferentes, por exemplo?

É fundamental reconhecer que você não sabe de tudo, por isso, ter uma equipe de pessoas que entendem de uma área que você não tem muita experiência é o ideal. Num grupo, sobretudo um grupo de pessoas complementares, as ideias aparecem e fica muito mais fácil desenvolver um projeto. Por isso, é importante valorizar as equipes multigeracionais. São competências diferentes e que se complementam.

 

O que é preciso para conceber uma startup?

Antes de mais nada, startup não é algo exclusivo do ramo de tecnologia. A base de empreender continua sendo o que sempre foi: fazer algo que ainda não foi feito, ou seja, inovar. A parte dos testes é crucial. Tente uma, duas, três, dez vezes! É a partir de tentativas que você vai identificando o melhor método para o seu negócio: é pessoal e não tem uma fórmula exata. Não importa quando foi que você desceu do bonde da internet, você tem que voltar! O conhecimento digital é fundamental para empreender. Existem inúmeros cursos, workshops e atividades que visam a capacitação de pessoas mais velhas no mundo digital. E claro, além de tudo isso, para criar uma empresa é preciso de gente. Pessoas que compartilhem suas experiências e saberes.

 

Vejas as fotos do Encontro MaturiJobs de Dezembro de 2017 na página da MaturiJobs no Facebook.

 

 

Esta matéria é exclusiva para MaturiJobs e foi produzida pelo site FiftiesMais, sendo o conteúdo de sua inteira responsabilidade.

 

 

Fifties Mais

Fifties Mais

O Fifties nasceu das inquietações de um grupo de amigas sobre maturidade e envelhecimento. Nossa geração ganhou algo como 30 anos a mais de vida em relação aos nossos ancestrais, como queremos viver esse tempo? Trocar ideias e informações sobre essa fase da vida é o nosso objetivo.
Fifties Mais