Como recrutar certo pessoas de diferentes gerações

O capital intelectual e cultural, a experiência digital e a comunicação on-line são apenas algumas das características das gerações, seja a baby boomer (nascidos entre 1945 e 1960), a X (nascidos entre 1960 e 1990) e a Y ou do milênio (nascidos entre 1980 e 2000). Cada geração chega ao trabalho com um conjunto de qualificações e perspectivas diferentes.

Como cada geração prefere se comunicar

Saber das habilidades e preferências de comunicação de cada geração, durante o recrutamento, pode contribuir para um processo mais fluido e com resultados mais significativos.

Por exemplo, quando os baby boomers iniciaram suas carreiras, a Internet não existia, a comunicação, portanto, era feita por telefone ou correio tradicional. Daí alguns manterem preferência pelo e-mail, correio tradicional e telefone. Outros, se adaptaram às tendências on-line. Respeitar os diversos meios pode ajudar na comunicação mais fluida.

Muitas das pessoas da geração X, que já estavam no meio de suas  carreiras na expansão da tecnologia digital -, podem facilmente lembrar quando não existiam Facebook, Snapchat, Twitter ou LinkedIn. Quando as mídias sociais emergiram alguns resistiram, enquanto outros se adaptaram rapidamente e se mostraram ansiosos por entrar na onda de modo a si promoverem e suas carreiras.

O Snapchat pode ser um aplicativo com muito apelo a alguém da geração Y, mas isto é menos provável para uma pessoa da geração X; para estes o LinkedIn e o e-mail são, frequentemente, os canais preferidos. No entanto, rejeitar canais alternativos de recrutamento como o Facebook ou o Instagram, poderia ser um erro, já que muitos da geração X foram atraídos por estes aplicativos.

Tendo nascido, ou sido criados, num ambiente digital on-line, os millennials são conhecidos por suas habilidades intuitivas na relação com as mídias sociais. Eles foram os primeiros a aderirem às mensagens de texto e selfies do Facebook, mas, geralmente, preferiem a comunicação por voz e feedback em tempo real.

A experiência gerada pelas diferenças

De acordo com a Dra. Mary Donahue, em The Marcia Moment: The Death of the Manage-Me Workplace (O Momento Marcia: A Morte do Ambiente de Trabalho), o recurso de todas as gerações vai além dos estilos de comunicação.

Por exemplo, os baby boomers acumularam capital intelectual através de suas várias décadas de experiência. Da mesma forma, os trabalhadores da geração X tiveram anos de experiência em contexto similares, ainda que menores.

Ambas acumularam capital em uma cultura em que a visão das lideranças era orientada por tarefas. Colegas e subordinados diretos eram valorizados pela experiência que traziam. Trabalhar duro, para as duas gerações, significa manter o foco, independentemente, das horas empregadas e sacrifícios para suas vidas pessoais.

Muitos millennials, por outro lado, são conhecidos por valorizar a serendipidade sobre os ganhos salariais, a contribuição social e o trabalho colaborativo em vez da competição pelos melhores empregos e por ser o primeiro a cruzar a linha de chegada. Para eles, com diferentes definições de sucesso que seus antecessores, construir seus sonhos significa priorizar liberdade pessoal e flexibilidade além das oportunidades da carreira.

A fim de encontrar e tirar proveito das ligações – e das diferenças – entre as gerações que trabalham juntas, é preciso reconhecer quais são as semelhanças e as disparidades.

Quer se trate de métodos de gestão e de desenvolvimento, para medição de desempenho individual ou promoção, a responsabilidade é da empresa na criação de uma cultura de recrutamento e seleção que atenda às características geracionais.

Recrutando com respeito

De acordo com a Dra. Mary Donahue, para atrair os baby boomers, assegure-se de que sua mensagem seja de respeito ao legado de cada um e como eles podem compartilhar seus saberes com as gerações mais jovens. Além disso, é preciso ter em mente que os boomers são motivados pelo reconhecimento de seu valor junto aos o líderes da empresa.

Para atrair geração X, mostre no seu recrutamento que reconhecerá o valor deles e saberá como integrá-los às equipes. Esta geração é motivada por um trabalho importante que somente “eles” podem fazer. Também acreditam que os resultados são orientados pelas realizações.

Para atrair a geração do milênio reforce que você estará em permanente comunicação mantendo-os atualizados sobre expectativas, metas e desempenho – fornecendo orientação e apoio. Em vez da tradicional avaliação anual, os millennials preferem feedback em tempo real.

Para atrair diferentes gerações, demonstre que a cultura de sua empresa está viva – a visão orgânica do crescimento, da expansão e da inovação devem estar na raiz da organização. Além disso, a importância crescente das habilidades sociais, engajamento e identificação com o local de trabalho é mais importante do que nunca e, em alguns casos, eclipsa o salário e os benefícios. O estresse saudável, ajudado por instrumentos adequados, cria um ambiente mais produtivo e centrado no cliente, o que atrai mais candidatos das várias gerações.

O artigo de Jacqui Barrett-Poindexter foi originalmente no site glassdoor no link https://www.glassdoor.com/employers/blog/from-millennials-to-boomers-how-to-appeal-across-generations-for-hiring/

Walter Alves

Walter Alves

Palestrante e consultor social com experiência em gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento e inclusão no trabalho de mulheres, negros, pessoas com deficiência, LGBTI+ e pessoas acima de 50 anos.
Walter Alves

Últimos posts por Walter Alves (exibir todos)