O direito de ousar

Henry Ford tinha 45 anos de idade quando lançou, o seu modelo T. Momofuku Ando, o fundador da Nissin Food Products inventou o macarrão instantâneo aos 48 anos. Charles Darwin, completara 50 anos, quando escreveu o seu livro revolucionário: “A Origem das Espécies”. Harland David Sanders, o Coronel Sanders, tinha 62 anos quando fundou a rede de fast food Kentucky Fried Chicken. Assis Chateaubriand, aos 58 anos, inaugurou a primeira emissora de televisão da América Latina, a Rede Tupi. John Pemberton inventou a Coca-Cola com 65 anos, Gordon Bowker fundou a rede Starbucks aos 51 anos. Joseph Campbell criou a empresa que fabrica a Sopa Campbell com 52 e Charles Flint lançou a IBM quando tinha 61. Roberto Marinho fundou a TV Globo aos 61 anos.

Esses exemplos me fazem lembrar de uma frase de meu pai: “meu filho, o Homem alcança a sua plenitude intelectual depois dos 60 anos”.

Hoje, com 70, concordo plenamente com ele e vejo um mundo cada vez mais centrado em “jovens talentos”, de estagiários a CEO’s. (como se talento fosse prerrogativa de uma determinada faixa etária…)

Parece que muitas empresas desconsideram o fato de que, enquanto o foco da maioria das contratações é o jovem, a média de idade da população do mundo atual vai ficando mais alta. Assim, creio que considerar a contratação  de profissionais experientes, competentes e com sólida formação de 50+, 60 ou mais anos é uma grande oportunidade.

Enquanto muitas empresas concentram seus esforços nos millennials, sem que haja um número crescentes de jovens, mas sim o de pessoas mais velhas, aumenta o número de profissionais de mais idade fora do mercado. Um contrassenso que você, gestor de pessoas, empresário ou investidor pode ajudar a eliminar, e com enormes vantagens para todos; a começar pelos mais jovens que teriam nos mais velhos o conselho mais ponderado; a capacidade de descartar ideias aparentemente novas e geniais, mas que já não deram certo ou deram certo demais e já existem na forma de produtos e serviços de sucesso; a experiência, compartilhada com prazer pelos mais velhos, que só querem que o mundo dê certo – e para quem? Para seus filhos; para os mais jovens.

Por outro lado, os profissionais mais velhos, evidentemente, aqueles que tem pique, não se perderam no túnel do tempo, não vivem de memórias, mas sim respiram o ar dos desafios, das conquistas e do aprender sempre, são também ótimos alunos – comprovadamente, os mais aptos a entender a mecânica que rege o relacionamento dentro das empresas e a importância do gerenciamento de crises, e são, claramente, os mais capazes de antever situações adversas, problemas e possíveis soluções.

Mas, na verdade, o fundamental é que jovens e pessoas mais velhas tem tudo para trabalhar juntos, formar equipes de sucesso e ajudar empresas a alcançar seus objetivo e metas; e também – por que não – viver, ensinar, aprender, crescer e empreender juntos.

Por tudo isso, aproveitar e dar chances a essa imensa e crescente força de trabalho, composta pela geração X e anteriores a ela, mais do que apenas uma questão de lógica e bom-senso, é uma grande oportunidade.

Contratar e/ou juntar-se a profissionais 50,60+ pode ser o “X” da questão; a solução para você e sua empresa destacarem-se no mercado. E uma das principais razões para isso é que entre os mais jovens e os mais velhos existe uma sutil, porém determinante diferença – que vai levar você a ver os 40,50, 60+ com outros olhos. Uma característica e vantagem competitiva, que só a experiência de uma longa vida profissional e pessoal de erros e acertos pode oferecer. Para mim, a única conquista real de quem tem muitos anos de estrada e um currículo substancioso: o direito de ousar.

Acredito que o bom profissional da geração X ou anterior, simplesmente, ousa mais porque sabe que vai errar menos. E essa ousadia, que a cautela da experiência torna mais segura, contamina positivamente toda a equipe, motiva os mais jovens e melhora consideravelmente a relação de custo/benefício de sua contratação.

 

Quer apostar que essas são grandes verdades? Que você e a sua empresa só tem a ganhar com isso? Contrate um 40, 50 ou 60+.

 

Paulo Roberto Whitaker Penteado

Paulo Roberto Whitaker Penteado

Diretor de criação e planejamento em DClemente&Associados
Formado em design na Alemanha e com 54 anos de carreira como publicitário, empresário de comunicação e artista. Dedica grande parte do seu tempo a aprender, estudar e pesquisar, procurando desenvolver e ampliar suas aptidões com o objetivo de colaborar e ajudar pessoas e empresas a ter uma visão mais abrangente de suas áreas de competência e resultados em suas carreiras e projetos. No tempo que lhe sobra trabalha para realizar e viabilizar seus próprios sonhos.

E-mail: p.penteado@dclemente.com.br
Paulo Roberto Whitaker Penteado

Últimos posts por Paulo Roberto Whitaker Penteado (exibir todos)