Trabalho no Futuro – Episódio 37: Meditar é revisitar a própria essência

Aos 9 anos iniciou seus estudos em ictiologia – ramo da zoologia que estuda os peixes. Este fascínio levou Fernando Bignardi à escola de medicina. “Me incomodava muito os peixes morrerem nos aquários. Aprendi que eles não fazem concessões, se não estiverem num ambiente ou situação compatível com a vida, morrem. Pude reparar que isto é verdadeiro para uma planta, para os animais e, principalmente, para os seres humanos e pude concluir que a doença é fruto do estilo de vida. A diferença entre peixes, plantas e nós os humanos é que temos a capacidade e a possibilidade de nos transformarmos e a tudo que está ao nosso redor”.

Nos últimos 10 anos, nosso entrevistado utiliza a meditação tanto para atender pessoas 60+ em estado de vulnerabilidade socioeconômica num hospital na periferia paulistana quanto nas empresas que aderem a programas de bem-estar.

Fernando acredita que o grande desafio da vida é como viver a maturidade sem contrariar a natureza com atividades diárias que não dizem respeito à realização da instância espiritual e, também, que a meditação é um excelente instrumento para voltar-se para o plano original e poder perguntar: o que mesmo eu vim fazer aqui? Qual é minha função neste grande sistema?

Você tem estas respostas?

Entrevista: Walter Alves
Edição: Felipe Andrade
Realização: MaturiJobs


Sobre o programa:

Você sabe como será o Trabalho no Futuro?
Quais as competências serão exigidas?
Haverá Trabalho no Futuro para as pessoas acima de 50 anos?
O que é envelhecer no Brasil atual?
Há uma idade limite para estudar ou para uma nova carreira?
É possível empreender fora da internet?
Para responder a estas dúvidas e, também, falarem sobre longevidade, maturidade e suas próprias experiências conversamos com várias pessoas e registramos em forma de entrevista nos programas Trabalho no Futuro.

Toda terça-feira um novo programa no ar. Não perca!