As mulheres mais velhas podem ser o segredo para impulsionar a economia dos EUA

O trabalho flexível pode ser um excelente alternativa para as mulheres da “geração sanduíche” e para as empresas nos EUA

World Economic Forum – 19/06/2018

Durante a próxima década, o escasso mercado de trabalho dos Estados Unidos continuará nas manchetes. A razão fundamental é que a quantidade de Baby Boomers que se aposentam superam a de trabalhadores jovens.

Um dos caminhos para que a oferta de trabalho do país atenda melhor a demanda seria se as empresas derem um foco particular à retenção de mulheres mais velhas. Agora, e mais ainda no futuro, aumentar a participação delas criaria oportunidades econômicas substanciais. Para tornar isto concreto, mais empresas devem considerar a possibilidade de tornar o trabalho flexível um elemento básico de sua estratégia de recrutamento e engajamento de funcionários.

De todos os grupos populacionais que participam da força de trabalho dos Estados Unidos, as mulheres de 55 anos ou mais representam o segmento de faixa etária de crescimento mais rápido. Esse grupo sozinho será responsável por mais de um terço – quase 3,6 milhões – de todos os trabalhadores adicionais que entrarem na força de trabalho na próxima década (2016-2026).

Mas garantir participação massiva de mulheres mais velhas depende de ofertas de emprego que satisfaçam condições por elas exigidas. Por exemplo, para algumas delas, a maximização da renda não é o principal objetivo. Muitas têm altos níveis educacionais. E com a responsabilidade reduzida de cuidar dos filhos – agora que eles cresceram -, elas estão prontas para assumir ou continuar tendo um emprego – mas não em qualquer trabalho. Para elas, uma forma de trabalho que ofereça flexibilidade num ambiente envolvente pode representar uma alternativa mais atraente do que a aposentadoria definitiva.

No entanto, nem todas as mulheres mais velhas têm o benefício do trabalho ser opcional. Embora o trabalho flexível não possa, por si só, resolver os seus desafios, pode proporcionar-lhes melhores opções para equilibrar as obrigações, os desejos e a necessidade financeira. Enquanto as mulheres, em média, se aposentam com quase US$ 40 mil em poupanças, os homens chegam a US$ 60 mil. Além disso, muitas mulheres mais velhas enfrentam a dupla responsabilidade de cuidar de seus pais idosos e de seus filhos. Mulheres – com idade entre 55 e 64 anos – são, comumente, as cuidadoras de idosos e quase metade delas, também, têm filhos menores de 18 anos em casa.

Geração sanduíche

O termo geração sanduíche aplica-se àquelas pessoas que, ao mesmo tempo, são responsáveis ainda por seus filhos e que cuidam de seus pais. Com as mulheres tendo filhos mais tarde e os idosos vivendo mais do que nunca, esta geração está crescendo – e com esse crescimento afloram necessidades por mais tempo e dinheiro.

Na Wharton School da Universidade da Pensilvânia, gerentes e empregados trabalham, caso a caso, para criar um arranjo de trabalho flexível. Cada funcionário possui um laptop equipado com recursos de videoconferência. As reuniões geralmente ocorrem com metade do grupo em uma sala de conferência e a outra metade presente virtualmente. Enquanto muitos entram no escritório todos os dias devido a demandas de negócios ou preferências pessoais, outros passam pelo menos parte da semana trabalhando em casa. As razões incluem, mas não se limitam, a parentalidade e cuidados – duas obrigações que normalmente ficam a cargo das mulheres.

Para organizações que buscam melhorar ou começar um trabalho flexível, o RH deve fornecer critérios aos gerentes para estabelecer limites em torno desses arranjos. E devem considerar a formação de gerentes na criação e avaliação de conceitos que funcionem para ambas as partes e no gerenciamento de membros da equipe remotos e flexíveis.

Essas novas formas de trabalho exigem diferentes maneiras de abordar o envolvimento dos funcionários, as avaliações de desempenho e as atribuições. Deve-se notar que a criação de um local flexível, mas envolvente, para os trabalhadores mais velhos não tem necessariamente um custo alto. A produtividade permanece forte enquanto os líderes implementarem esses arranjos de maneira sólida. Enquanto o RH pode assumir a liderança na sugestão de arranjos diferentes, eles devem evitar elaborar políticas de tamanho único.

(Tradução livre Walter Alves)

 

Este artigo foi publicado originalmente no World Economic Forum
Link: https://www.weforum.org/agenda/2018/06/older-women-could-be-the-secret-to-boosting-the-us-economy

 

Walter Alves

Walter Alves

Palestrante e consultor social com experiência em gestão de pessoas, Gestão do Conhecimento e inclusão no trabalho de mulheres, negros, pessoas com deficiência, LGBTI+ e pessoas acima de 50 anos.
Walter Alves